"Convivendo com os Animais e os Micróbios" - Oficina de Teatro

Sempre que uma criança coloca seu talento a serviço do mundo, cresce a esperança de uma vida melhor

Sempre que uma criança coloca seu talento a serviço do mundo, cresce a esperança de uma vida melhor
Sempre que uma criança coloca seu talento a serviço do mundo, cresce a esperança de uma vida melhor.

MICA 23 anos

SELECT YOUR LANGUAGE.






>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> SELECT YOUR LANGUAGE >>>>>>>>>>

Seguidores

sábado, 22 de outubro de 2016

Projeto Internacional

Projeto Internacional "Arte pela Paz" 18ª edição
Tema 2016
"Castelos, Fortes e Fortalezas do meu Pais"

Alunos do Colégio CERMAC recebem certificados na abertura da mostra
Mostra dos trabalhos premiados e selecionados
de 18 a 28 de outubro
NAU Interativa
Rua Barão de Itapetininga, 255 sala 605
Centro de São Paulo
Tel: (11) 3129-8544

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

“Micróbios, seres que não podemos ver”

Os monitores do Polo, Thalita Carvalho de Almeida Medeiros - Gestora Ambiental e José Carlos Oliveira Santos - Técnico Ambiental  desenvolveram uma atividade falando sobre os micróbios do bem e os micróbios do mal (patogênicos) e respondendo às muitas perguntas das crianças. Apresentaram vídeos com imagens de micro-organismos vistos ao computador e, ao final da atividade, montaram um “microscópio caseiro” (uma gota d’água foi atravessada por um feixe de luz de laser), e assim as crianças puderam observar a existência dos micróbios, ao vivo.
A seguir, a Médica Veterinária Yamê Melo desenvolveu uma atividade falando sobre as doenças dos animais causadas por micróbios. Doenças dos animais que podem ser transmitidas aos humanos e doenças, que são específicas dos animais, e não são transmitidas aos humanos. Cuidados com os animais para evitar doenças - vacinas, banhos, escovação, etc 
Cenas das refeições da manhã e tarde.





Através da arte-educação, as crianças realizaram uma atividade de pintura. Claro, pintando muitas imagens de micróbios.

 Em intervalos das atividades, as crianças tiveram momentos de gastar a energia nos brinquedos do parque e momentos com brincadeiras mais tranquilas, no salão, com o jogo do “lenço atrás”.

Criaram uma pequena peça, ensaiaram e a apresentaram no palco para os professores, voluntários e amigos do MICA presentes.
Intitularam a peça “Convivendo com os Animais e os Micróbios”.
Para uma maior fixação do conhecimento sobre o assunto, a Profa. do MICA Maria Nilce Nicodemos confeccionou máscaras para a apresentação da peça. Assim as crianças se envolveram com tema e aprenderam muito sobre os micróbios e os animais.



 Hora de voltar para casa.
 O lanchinho vai para casa numa sacolinha bonita e reutilizável.


Como o evento foi realizado  em uma unidade de educação ambiental, vamos  deixar um legado para o futuro, plantando uma árvore. 
Que cresça forte e floresça muito, para sempre lembrar a todos que “Sem Árvores, não haverá Vida no Planeta”.
.
 E uma boa oportunidade para comentar sobre a importância das minhocas para a vida das árvores e outros vegetais que têm suas raízes na terra.

O nosso agradecimento a todos que colaboraram para que este evento acontecesse. Aos monitores do Polo Ecocultural, Thalita e José Carlos; à bióloga Talita Bitencourt Bordon da Silva, que elaborou toda a organização do evento em parceria com o MICA; a Tatiana Maffei - Gestora do Parque Estadual Alberto Löfgren - Horto Florestal, que confiou em nossa proposta e autorizou a realização do evento; aos funcionários da segurança e da manutenção do Polo; à voluntária da comunidade, Regina; aos voluntários do MICA;  Marly Tur no apoio do transporte.
E para custear café da manhã, almoço, lanche, materiais de arte, o nosso agradecimento ao Brechó da Simone e aos “Amigos do MICA” que compram rifas e fazem doações.
Projeto Marcelinho Protetor
Polo Ecocultural Pedra Branca - Av. Santa Inês, 3321
Zona Norte de São Paulo 

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Concurso Internacional

Concurso Internacional "Arte pela Paz"
18ª edição
Tema 2016 "Castelos, Fortes e Fortalezas do meu País"
Reunião do júri para a seleção e qualificação dos trabalhos que participarão da mostra em outubro na NAU Interativa.

Consultoria e pesquisa em design, tecnologia e educação, orientadas para uma vida mais coletiva e colaborativa.
Click na imagem e conheça.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

VIRALATAS, O MUSICAL

Crianças e Jovens da Comunidade do Sapo assistem pela vez a um espetáculo de teatro.
Nossa expectativa - MICA (Movimento Infantojuvenil Crescendo com Arte) e PMP (Projeto Marcelinho Protetor) - é que essas crianças e jovens, além de tomar consciência do seu papel como futuros cidadãos, sejam multiplicadores, em sua comunidade, de todo conhecimento adquirido.
Teatro Viradalata apresenta "Viralatas, o Musical"
Antes de entrar na sala de espetáculos , um lanchinho.

 E as pipocas gourmet 
"Benditta Pipoca"

Reforçar, com muita diversão o que essas crianças já ouviram sobre os problemas que os animais sofrem com abandono e maus tratos, fez com que tivessem a certeza de que também está em suas pequenas mãos, proteger os animais.
 E ainda, antes de assistir ao musical, as crianças receberam a visita do "Paçoca Gatto", um gatinho paraplégico, mascote da campanha pela liberação do transporte público para animais. Quem quiser conhecer e apoiar a campanha, é só entrar na página "somos todos paçoca" do face book.

Hora de assistir ao musical.
Muita ansiedade e expectativa por uma nova experiência.

E agora é o momento de conhecer bem de pertinho os atores. Conversar, perguntar, tocar em pessoas que são verdadeiros mitos para as crianças de uma comunidade.
E agora, é voltar para casa, com muitas novidades para contar à família, aos amigos, aos vizinhos. Multiplicar tudo o que aprenderam neste espetáculo de muitas luzes, cores, dança, música, efeitos especiais, emoções e muitos, muitos ensinamentos sobre o RESPEITO, PROTEÇÃO E BEM-ESTAR DOS ANIMAIS.
Eles irão se multiplicar para lutar pelo respeito e proteção aos animais.
* * * * * * 
Nosso agradecimento a todos que colaboram e apoiam as atividades do MICA e PMP, por acreditarem na importância de nossos objetivos e por confiarem na conduta de nosso trabalho voluntário.